Pós-graduação
Qualidade, interdisciplinaridade, mobilidade e inserção profissional dos egressos.

 

Oferecer formação de pós-graduação de excelência e nível internacional, em todas as grandes áreas do conhecimento, de forma indissociável de suas atividades de pesquisa, provendo o país com expressivo contingente de mestres e doutores de alto nível, para atuar em ensino, pesquisa e desenvolvimento tecnológico, tanto na academia como nos setores público e privado.
Diretrizes e Ações:
Priorizar o aprimoramento da qualidade e relevância dos Programas de Pós-Graduação da USP.
Desenvolver paulatinamente um sistema de avaliação interno da pós-graduação, complementar à avaliação externa da CAPES, incluindo uma visão sobre excelência da pós-graduação internacional.
Propor revisão de critérios de avaliação CAPES, introduzindo um período de carência de 5 anos na contabilização da produção científica de novos docentes, estimulando seu credenciamento como orientadores plenos nos programas de pós-graduação da USP.
Reavaliar as possibilidades de maior autonomia regulatória para as Unidades na definição de normas específicas e adequadas a cada área do conhecimento, que permitam melhor aproveitamento da fertilidade associada à diversidade, onde houver excelência, sempre com a participação dos coordenadores de Programas de Pós-Graduação.
Estimular a experiência internacional em programas sanduíche, com mecanismos de apoio complementares aos das agências de fomento.
Estimular a parceria entre Programas de Pós-Graduação e a orientação de doutoramentos com dupla-tutoria, favorecendo a interdisciplinaridade e a integração entre as áreas do conhecimento.
  Criar mecanismos de estímulo ao desenvolvimento de habilidades didático-pedagógicas dos pós-graduandos, tema de grande relevância para melhoria da qualidade do ensino superior do país.
Criar oportunidades de exposição do pós-graduando ao mercado de trabalho profissional, estimulando a pesquisa em ambiente de empresas e a incorporação do conhecimento em políticas públicas e serviços. O sistema deve operar não só em relação à produção científica nas próximas décadas, mas também reassumir e ampliar seu papel na formação de pessoal docente qualificado para o ensino superior, especializar profissionais para o mercado de trabalho público e privado, formar técnicos e pesquisadores para empresas públicas e privadas e, ainda, qualificar professores para a educação fundamental e média.
Adaptar o sistema vigente para incluir e estimular os temas de inovação, em parcerias com empresas e governo.
Discutir, conjuntamente com a área de Cultura e Extensão, o papel dos programas de educação continuada, seu credenciamento e avaliação de qualidade.
  - Lato-sensu
  - Especialização
  - Educação continuada
  - Mestrado profissionalizante
Incentivar fortemente a participação de estagiários de pós-doutoramento nos Programas de Pós-Graduação.

 

 

Deixe aqui suas sugestões sobre este tema:

 

 

 

FALE COM O CANDIDATO

Profa. Tsai Siu Mui - Docente - CENA

Idealizador de uma nova USP

Cara Profa. Tsai:

 

M...

 
Marcello Batista Pimentel - Servidor Técnico-Administrativo - Escola de Enfermagem

Indicação de reitor:

...

Caro Marcello:

 

Muit...

 
Prof. Ricardo - Docente - IBUSP

Primeiro turno:

<...

Caro Prof. Ricardo:

 

 
João - Servidor Técnico - Administrativo - EACH

Plano de carreira dos servidores:<...

Caro João:

 

Obrigado...

 
Valentina Paraiso - Aluna - FFCHL

Estrutura para o ensino: &nbs...

Cara Valentina:

 

Fui...

 

 

Clique para fazer sua pergunta.

 

TEMAS EM DESTAQUE

 


Inicio l Notícias l Fale com o candidato l Área restrita